Tenho blog desde muito tempo, quando ainda existia o Blogger e o Webbloger (do Terra)… Eu lembro de vários textos que eu escrevia, das trocas, tinha até comunidade de orkut sobre meus textos (hahaha). Eu SEMPRE gostei de escrever! Por um tempo, por questões da vida, deixei de lado, algumas vezes por pura auto-sabotagem e uma autocrítica severa demais. Mas resisto bravamente à essa voz interior que diz que eu não consigo, ou que eu não sou tão boa assim pra “me amostrar” num blog… E seguimos, porque eu vejo tanta coisa bacana, leio tanta coisa legal, que não consigo não querer compartilhar isso com cada uma de vocês.

Este já teve diversas facetas, o primeiro profissional foi criado em 2012, logo que me formei, escrevia sobre o dia a dia da Psicologia Escolar. Em seguida, quando passei a trabalhar com a dependência química, passei a dar ênfase nas minhas crônicas, e pouco sobre a psicologia em si, apesar de amar o trabalho com as famílias de dependentes químicos, minha válvula na escrita não era falar sobre aquele assunto, mas sobre a vida. Acho que foi uma maneira de amenizar a escuta do sofrimento diários daquelas pessoas, principalmente as mães. Engravidei. E quando Hugo nasceu, não consegui voltar ao trabalho antigo. Depois de toda a experiência de gestante, que intensificou meu olhar, aprimorou minha sensibilidade ao universo materno, comecei a refletir e questionar sobre o acolhimento às mães, lembrei de todas que ouvi na escola, na saúde, e as que conheci nos grupos de mães, e isso me inquietou. Lembrei da minha experiência em RH e como as mães não eram acolhidas.  Entrei em crise sobre o trabalho, como já contei para vocês aqui, aqui e aqui! E nasceu o Blog Mamãe é Psicóloga! Foi uma experiência maravilhosa, mas aos poucos, eu ampliava ainda mais minha visão, minha escuta, minhas leituras, meu conhecimento, e sentia que o blog me limitava à uma escrita sobre comportamento infantil, sobre educação, que eu sou apaixonada (inclusive trabalho com isso!), mas eu queria mais! Queria falar sobre nós, mulheres, que muitas vezes nos tornamos invisíveis, e foi com esse super insight, que eu resolvi ampliar o blog. Mudamos um pouco tempo depois para Reflor&Ser. Em 08 de Outubro de 2015, o blog mudou, porque eu também havia mudado, e muito! E essa história você pode ler aqui: Sinto que refloresci!

E agora, estamos aqui, florescer e reflorescendo. Essa ano de 2017 que se aproxima vai ser mais um ano de ampliação. E de tanto ler, e agora com o mestrado, com estudos de genero, feminismo, maternidade, trabalho, tenho me deparado com tanta coisa linda, e ter voltado para a psicoterapia, estou num processo de resgate e transformação ainda mais intenso, que não tem como não trazer isso pra cá. E espero que vocês continuem comigo, nessa jornada incrível, e sem fim que é o autoconhecimento, redescobrir e transformar a cada momento da vida. 😉

Além de novos colaboradores com o conteúdo, que você pode conhecer aqui, o blog vai abordar mais assuntos relacionados ao universo materno-feminino! Sim, feminino, aqui é um espaço de mulheres que são mães! Vai ter sexo, vai ter nutrição, vai ter corpo & saúde, vai ter beleza, vai ter dica de saidinha à dois!

Vamos juntas nessa transformação que a maternidade nos proporciona?

Um beijo grande!

E não esqueçam que quando tiver dúvida, sugestão, pode entrar em contato: contato@raisaarruda.com.br

Raisa Arruda