O mundo dos chás

Eu sempre achei incrível o poder de cura concedido aos chás. Eu achava que algo do divino a vovó saber quais chás de ervas seriam melhores para o que estávamos sentindo. Dor de barriga, crise alérgica, gripe, dor de cabeça, insônia, agitação, para tudo havia um chá, ou um lambedor.

Por um tempo, troquei o chá pelo café, nesse tempo eu alimentava minha ansiedade e inquietação, achando que assim, eu estava numa boa. Alimentava meu ritmo frenético e pensamento acelerado. Uma vida sem pausa.

Eu bebia muito café, eu fumava, farreava demais. Também, passava três a seis meses na academia, como forma de ter o corpo que eu queria, mas de também diminuir minha ansiedade, mas com o estilo de vida que eu tinha, eu ia morrer na academia, e a ansiedade não ia embora nunca.

Um dia eu resolvi que queria uma vida mais equilibrada. Bati o martelo, e venho numa desconstrução interna, e incorporando novos hábitos. Posso dizer que estou há cinco anos nessa caminhada, mas tudo isso se materializou de fato quando eu engravidei.

Antes de engravidar eu vislumbrava uma mudança, tentei diminuir farra, cigarro, bebida, mas nada muito efetivo, ou como um objetivo concreto. Eu sabia que fazia mal, eu sentia meu corpo implorando para que eu mudasse. Mas sabe como é né? A vida sem pausa é viciante.

Comecei pela alimentação, diminui açúcar, mais saladas e frutas. Não como mais fritura (só quando é o jeito ou o cheiro da batata frita tá irresistível), mas refrigerante já tem uns anos que eu não tomo, no máximo quando alguém tá tomando eu bebo um gole e me arrependo em seguida porque só sinto o gosto do açúcar.

Estou tentando recuperar meu tempo de atividade física, mas tem sido muito complicado, porque só tenho diarista três vezes na semana e nos horários que estou trabalhando. Então, quando estou em casa, normalmente estou sozinha com meu filho. Mas estou começando a criar mais coragem de pedir pra minha mãe e minha sogra ficarem com ele só as 2h que fico na academia, além dos turnos que elas ficam com ele para que eu possa estudar e trabalhar.

E, no meio de tudo isso, voltei ao consumo de chás.

Esse ano foi que eu resolvi que queria aprender mais sobre esse universo fascinante. Ganhei um livro, tipo um mega guia e manual do chá.

( O livro do Chá – Linda Gaylard : http://amzn.to/2AIsF89 )

Aprendi que chá são as infusões realizadas com variações da Camellia Sinensis, e que esses chás que a gente conhece por aqui, na verdade, são chamadas de Tisana.

ENTÃO, chá mesmo são as variações que levam chá verde, chá preto, chá branco, que são variações da Camellia Sinensis devido à fermentação, oxidação,  contato com outras ervas e frutas e tal.

Desde então, tenho incluído chá na minha rotina diária, tomo em torno de 3 xícaras de chás por dia, gelado ou quente. Eu me sinto mais tranquila, disposta, mas não estressada ou agitada. Sei que não é só o chá, mas toda uma mudança interna, tenho ampliado minha disponibilidade emocional para a aceitação, e isso tem me ajudado a enfrentar as dificuldades de uma maneira mais amena.

Nessa minha busca de aprendizados sobre os chás e seus poderosos benefícios, encontrei alguns sites interessantes, e dois clubes de chás que eu ainda estou considerando qual me inscrever. Encontrei também várias marcas nacionais que fazem “blends” (que são as variações de Camellia Sinensis com outras ervas, frutas e etc), e quero compartilhar tudo o que eu encontrar e experimentar aqui com vocês.

Hoje, vou divulgar o link dos clubes dos chás, e assim que eu decidir qual vou assinar primeiro, compartilho a experiência:

Naplee –  http://www.naplee.com/

Diário do Chá – https://diariodocha.com.br/

Quais chás vocês costumam tomar? Alguém aqui já participa de algum desses clubes?

Beijo grande!

Raisa Arruda

Written by

Psicóloga, mãe e feminista. Atuo na área clínica e escolar, mestranda em Saúde Coletiva com ênfase em gênero, maternidade e trabalho.

Deixe uma resposta

Gostou do post? Tuíta! <3

"O mundo dos chás" by @raisaarruda_

Tweet Close
%d blogueiros gostam disto: