Estou bem em falta por aqui, nem lembro quando escrevi a última vez. E eu estava com muita saudade desse espaço, porque ele significa muito pra mim.

Então, esse mês eu percebi que algo estava muito errado quando comecei a sentir crises de ansiedade em pequenas doses. É, nós que somos da psi também temos nossas questões e nossos sintomas. Como a ansiedade já é uma velha conhecida, e está completamente relacionada à uma questão minha de controle, organização e planejamento, precisei parar e observar o que estava me levando a esse caminho novamente, e aí entendi: eu tinha me proposto à muitas coisas, mas nem tudo estava (está) caminhando do jeito que eu gostaria, e eu me cobro muito. Aí já viu, né?

Parei e comecei a observar meus detalhesEstou Estava sobrecarregada. E num dia de 24 horas eu não estava conseguindo realizar muita coisa além do trabalho, porque não dava tempo, e eu estava num esquema de rotina que piorava ainda mais essa situação.

Bom, quem me conhece sabe que isso me deixa frustrada e bastante chateada!

O que eu fiz, então?

Quem segue e lê o blog com certa frequência ou me conhece pessoalmente sabe que eu sou aloka da papelaria e dos planejadores. Eu comprei um midori notebook pelo Aliexpress, pra fazer um Bullet Journal que coubesse na minha bolsa. Eu já andava com cadernos e cadernetas comigo desde sempre, mas entendi que existe uma forma sistemática de organizar as coisas, e que cada pessoa pode encontrar seu próprio sistema de organização. Tentei um fichário, mas me adaptei melhor ao midori, eu usava muito também cadernetas tipo moleskine até ano passado, além de um Planner.

Passo – a – passo da reconstrução da minha rotina:

Anotei todas as coisas que eu precisava fazer, no dia, na semana, no mês. Desde lavar louça, fazer café, tarefa do Hugo, livro ou texto que precisava ler, enfim… T-U-D-O. E quanto mais eu anotava, mais eu conseguia enxergar o que de fato eu precisava fazer e o que eu fazia… E também coisas que deveriam estar na lista e não estavam, mas foram acrescentadas.

Fiz uma tabela dias da semana/horários. E consegui visualizar a minha desorganização, porque eu estou o tempo todo fazendo tudo, e no final, não faço quase nada, estou sempre cansada, e ainda falta um monte de coisa pra fazer.

Refiz tudo!

Mudei o horário de dormir, mudei o horário de acordar, inclui minha atividade física (necessária e urgente, porque entre os benefícios está a energia para conseguir levar o dia numa boa), e na tabela inclui todas as atividades do dia a dia. De verdade.

Peguei a ideia de um Habit Tracker e aí eu consigo me ajudar e enxergar o que está funcionando, e no que eu estou me dedicando de verdade, onde falta maior atenção… Você coloca de um lado a lista de hábitos, e do outro os dias do mês (como numa tabela), e aí todo dia você pinta um quadradinho daquilo que você fez e no final você consegue visualizar bem direitinho como foi seu mês em relação às atividades.

Antes, eu dormia entre meia noite e uma da manhã, acordava 6h30 morrendo, e passava o dia morta. Hoje eu acordo 5h, no mais tardar 5:30, mas estou dormindo entre 21:30 e 22:30. Depende do horário que saio do consultório. Acordo entre 5h e 5:30, faço um super suco (isso tá anotado lá na rotina), depois do suco já deixo as coisas preparadas para o café e me arrumo para fazer meu treino (estou fazendo pelo Queima Diária), depois do treino faço o café, tomo banho, me arrumo, medito de 5min a 10min e estudo até Hugo acordar. Depois que Hugo acorda me dedico a ele. Quando é dia de ir para a escola, estudo até a hora de sair.

Por aqui está funcionando, e eu me sinto muito mais motivada. Inclusive, por conta dessa organização bem pragmática e monitorada até que se torne um hábito real. Minha ansiedade que incomoda diminuiu, mas ainda não estou como estava, o mestrado, de verdade, é uma injeção de angústia até que você consiga se encontrar na rotina de estudos, pressão e atividades cobradas, mas eu sei que vai dar certo. Aos poucos, tudo se ajeita.

 

E você, como tem organizado sua rotina? Usa algum instrumento de organização? Compartilha com a gente!

 

Beijo grande!

 

Raisa Arruda