Faz algum tempo que gostaria de abordar esse tema aqui, e pedi a queria Krys Rodrigues, que é psicóloga, doula, e administradora de um grupo fantástico no Facebook sobre Criação com Apego, facilita rodas sobre os princípios da Cricao com Apego, no Instituto Alere Cuidar! E, como foi uma sugestão de uma leitora, achei que estava na hora de trazer uma nova categoria para esse blog, falar sobre gestação e parto, já que também faz parte desse universo materno, e a Krys também é mãe e psicóloga! E foi um encontro maravilhoso que o mundo virtual proporcionou,  e hoje já nos conhecemos no plano real também! E vocês terao mais textos dela por aqui, sobre gestacao e parto. Espero quem obstem tanto quanto eu desse texto maravilhoso!!!

Beijo grande,

Raisa.

Fui convidada pela queridíssima Raísa Arruda para escrever sobre o papel da doula. Gostaria de começar, falando pelo significado dessa palavra, que já diz muito sobre si; vem do grego e quer dizer “aquela que serve”. E é isso mesmo! A doula, no nosso contexto, é uma pessoa treinada para servir à mulher [e sua família] desde o planejamento da gestação, parto e pós – parto. O papel da Doula é informar, acolher, orientar a gestante e família sobre a gestação. Acompanhar o parto levando apoio físico, emocional e confiança. Auxiliar na redução de desconfortos ou dor através de métodos não-farmacológicos. Estimular o contato mãe-bebê na primeira hora, favorecendo o contato pele-a-pele – a chamada hora de ouro, tamanha sua importância. E, na visita pós- parto, além de promover a “digestão” do trabalho de parto, auxiliar em alguma dúvida sobre amamentação e primeiros cuidados com o bebê, indicando acompanhamento especializado, se for o caso. Acima de tudo, dentro do que preconiza a Humanização do Parto, apoiamos as escolhas da mulher, esta deve ser a protagonista de seu processo. Havendo a possibilidade, inclusive, de a Doula se fazer presente, mesmo em uma cesariana, seja de emergência ou mesmo por decisão da mulher. O fato é que quem buscou um parto normal e por algum motivo acabou passando por uma cesárea, pode precisar ainda mais de uma Doula, no momento do nascimento e pós-parto.
Ser Doula, é estar a disposição e ser invisível para deixar a mulher viver seu momento em plenitude; aparecer para acrescentar – e desaparecer para não atrapalhar! É cuidar do ambiente e das pessoas que nele estão. É uma grande honra estar presente em um momento tão especial de uma mulher, de um novo ser, de uma família.
Em termos de evidências científicas, segundo um estudo publicado por Klaus e Kennel, em 1993, a atuação da doula resulta em:

• Redução de 50% nos índices de cesárias;
• Redução de 25% na duração do trabalho de parto;
• Redução de 60% nos pedidos de analgesia peridural;
• Redução de 30% no uso de analgesia peridural;
• Redução de 40% no uso de ocitocina;
• Redução de 40% no uso de fórceps.
Outros estudos também mostram claramente que a presença da Doula no pré-parto e parto trazem benefícios de ordem emocional e psicológica para mãe e bebê, incluindo resultados positivos nas 4ª a 8ª semanas após o parto:

• Aumento no sucesso da amamentação;
• Interação satisfatória entre mãe e bebê;
• Satisfação com a experiência do parto;
• Redução da incidência de depressão pós-parto;
• Diminuição nos estados de ansiedade e baixa autoestima.
[fonte: http://queroumadoula.com.br/ver-artigo/1/evidencias-cientificas-do-trabalho-da-doula/%5D
Sempre que alguém me procura interessado em um acompanhamento, solicito inicialmente um encontro, pois a doula vai estar presente em um dos momentos mais íntimos e especiais dessa família, então acredito que a “química” é fundamental para essa parceria. Minha dica para escolha de uma doula é essa, conheçam, conversem, olhem no olho e pensem se é a pessoa com querem compartilhar esse momento transformador.
Namastê!
Krys Rodrigues, mãe do Iago, Doula e Psicóloga.

Se você deseja entrar em contato com a Krys e tirar suas dúvidas, seguem os contatos: (85)99754881 e psidoula.krys@gmail.com