Estou em débito de posts por todo o mês de março! Antes de começar Abril e novos posts (já tenho uma lista que chegou em 20 tópicos para posts de Abril à Junho! UHUL!), queria também atualizar alguns assuntos né? Daqui a pouco faz um mês que Hugo aniversariou e eu não comentei absolutamente nada por aqui, né? Então, vou falar um pouco do primeiro aniversário da gente!

Foi uma festa super caseira, com papelaria da Detalier , o tema foi de aviões e cataventos! Eu escolhi esse tema porque eu acho tudo a vê com o Hugo, eu tinha pensado em continuar levando a história do Submarino Amarelo, mas isso era uma coisa minha né? Hugo me mostra todos os dias uma personalidade curiosa, criativa, desbravadora, corajosa! Eu observo seus passinhos todos os dias, e vejo aqui um menino que observa e se aventura, sem muito medo, cai e logo levanta para continuar (se eu não fizer alarde, e se não for uma queda de cabeça…), enfim, sei que são construções minhas e leituras minhas sobre o que eu vejo, mas se sou eu quem nomeio e caracterizo isso, enquanto ele não o faz por si próprio… Eu vejo meu menino um aventureiro, desses que observa, analisa, e em seguida faz suas investidas. É engraçado, porque ele fica olhando atentamente às coisas, e em seguida ele já está lá cutucando, mexendo, imitando. E balões de ar pra mim são símbolos de aventura!

Penso que tem muita influência do Júlio Verne, e a Volta ao Mundo em 80 dias, tanto que a frase do convite dele era “a vida é uma aventura e a minha está só começando!”…  E talvez, tenha também uma influência por saber que Dom Quixote é o herói preferido do meu marido, e quando o Dom Quixote luta contra os moinhos de vento, apesar de não serem bem inimigos, ele luta contra uma construção fantasiosa, mas a fantasia não é uma construção a partir do inconsciente? E se é uma fantasia assustadora, um pesadelo, não seriam nossos medos tomando forma? Nada mais corajoso do que lutar contra os próprios medos!

De todos os desejos que tenho para a felicidade do Hugo, que ele consiga encontrar amor e diversão em tudo o que faz, e perceba que a vida pode ser uma aventura deliciosa (e como toda aventura tem imprevistos, tem quedas, tem obstáculos, tem prazer…), também desejo que ele saiba que muitas vezes somos nossos maiores inimigos, que não percebemos que muitos dos nossos medos são fantasias, e que muitas vezes nos limitamos, boicotamos, e sofremos, por criações nossas, e se o que eu desejo pro meu filho é a liberdade, e pra mim, requisito básico é o auto-conhecimento, e buscar por auto-conhecimento é lutar contra nossos moinhos de vento!

Acho que o Rodrigo nem sabe que escolhi cataventos por isso…

Então, a festa foi super caseira, a gente convidou alguns amigos, vieram os Hugo conhece, interage e gosta; e nossos pais e irmãos. Nada mais do que isso, o aniversário era do Hugo, e cuidamos para que fosse uma festa em que ele se sentisse à vontade. O bolo foi o da vovó Maria, que é o único que eu deixo ele comer, por ser feito de aveia, banana e ameixa, e com açúcar demerara ou mascavo. O painel foi feito pela minha mãe, de TNT azul, balões e cataventos de EVA (que foram para parede do quarto dele, ficou super fofo, e ele AMA!). Eu já tinha visto água com sabor, que você coloca frutas dentro da água e tal, e achei no blog Ju, me ajuda? Um post sobre água com frutas, e me inspirei para fazer as jarras!

Aniversário Hugo
Parabéns do Hugo!
Aniversário do Hugo
Avós – Aniversário do Hugo

Apesar de ter sido caseira, não foi uma produção sem estresse, eu e Rodrigo que fizemos os brownies, cupcakes, e comidinhas… E quando acordamos, no sábado, não tínhamos nada pronto! A gráfica esqueceu meu pedido, e não deu pra adiantar a papelaria. Chegou sexta à noite, veio minha mãe, a Rafa e a Vanessa, me ajudar aqui em casa a cortar e colar. No meio da produção, Hugo acordou, e aí não quis dormir, então deixei tudo pro sábado pela manhã, só que a festa era às 16h!

Teve choro, teve estresse, teve vontade de ligar pra todo mundo e desmarcar, teve culpa, teve auto-depreciação, teve discurso de ser a pior mãe do mundo que não é capaz de fazer um aniversário… Mas no final, deu tudo certo!  E eu só tenho que agradecer, com todo meu coração, e amor, por ter comigo um homem tão paciente, que acolhe minha angústia, por mais infantil que ela pareça, aprende a fazer cupcake num dia, além de fazer todo o resto comigo, e me mostra que estamos juntos nessa, o tempo inteiro.

Tiramos pouquíssimas fotografias, porque passamos a festa inteira conversando, acompanhando Hugo, que queria andar por todo o salão de festas do ap pra falar com todos seus amigos e convidados! Escolhemos o horário de 16h, porque é o horário que ele fica mais ativo, e o aniversário foi até umas 21h, quando ele começa o ritual de sono – que dura séculos… Foi o tempo inteiro só sorrisos, e uma simpatia sem fim! Fiquei muito feliz em ver o quanto ele estava feliz ali, ele andava de um lado para o outro, e não sabia com quem ele queria ficar, porque estavam todas as pessoas que ele gosta no mesmo lugar ao mesmo tempo! Gente, ele sorria tanto, mas tanto! Ele ficou tão feliz que nem dormir ele quis… Quando chegamos no ap, ele queria descer de novo, e queria brincar mais e mais.

E é pela alegria dele, e pela nossa, que de fato, festas em casa são a nossa preferência. Não somos consumistas, e buscamos o máximo fugir dessa lógica de consumo desenfreado, não que isso seja um esforço, pois estamos buscando o equilibrio entre nossos desejos e convicções, então nos deixa mais felizes, por vivemos em consonância com aquilo que acreditamos.