Ir ao banheiro, trabalhar em casa (ou fora), dormir, descansar, comer, cozinhar, e qualquer outra coisa que pra uma pessoa qualquer é NORMAL, pra gente é uma missão. E digo mais, é uma missão que ensina a observar os detalhes da vida.

Talvez seja esse o presente da maternidade, quando você está disposto a receber, você consegue enxergar o quanto perdermos de vida ao correr nas nossas atividades corriqueiras, e quando temos filhos, essas atividades deixam de ser simples, e tudo deixa de ser tão simples, e todos os detalhes saltam aos olhos num piscar, num segundo. E a vida tem um ritmo diferente, um sabor diferente, por conta do tempo, da perspectiva.

A vida é tempo, e tempo é fio que corre despercebido, se não houver sensibilidade para senti-lo.

Chego na terça-feira a um ano que minha vida mudou de tom, mudou de tempo, mudou de prisma. Um ano que os detalhes se tornaram vivos, que meu olhar se ligou no macro, na cor, no sorriso, na bobagem que é ver os pingos da chuva escorrer pela janela do carro, mas é de uma beleza despercebida.