Um dia desses comentei nas redes sociais a respeito desse tema, mas ainda não tinha vindo aqui falar um pouco sobre.

É sabido que existem vários estudos que tentam compreender, avaliar, e dar conta dessa temática, que parece um debate inesgotável, apesar de unânimes: excesso(*) de tv e tecnologia acarretam em algumas dificuldades cognitivas da criança.

A criança vive no concreto, e as tecnologias as levam para um plano abstrato, que elas ainda não adquiriram maturidade para isso. Tanto que na primeira infância as crianças tem dificuldade de separar sonho de realidade, e um pesadelo pode ser algo bem real para elas. Então, sem a supervisão de um adulto, o uso abusivo das tecnologias e o excesso de televisão no cotidiano da criança pode ser prejudicial ao seu desenvolvimento, sim, pois elas não conseguem ainda distinguir o que é real ou não, o que é verdade ou não, vindo daquele meio de comunicação – não é à toa que existem vários movimentos contra publicidade infantil, e vários movimentos tentando resgatar o tempo do brincar.

Outra questão muito séria relacionada ao uso abusivo, e sem orientação, das tecnologias está em relação às informações. A facilidade de encontrar qualquer coisa – qualquer coisa mesmo – através das tecnologias, faz com que as crianças percam o interesse naquilo que necessita raciocínio, que necessita concentração e esforço. O fato de encontrar tudo pronto, e de fácil acesso, acomoda; e essa comodidade é facilmente percebida por quem trabalha/lida diariamente com crianças e adolescentes. Existe uma dificuldade gritante nas crianças quando são convocadas a imaginar, por exemplo; ou se concentrar; ou conseguir ouvir e perceber a existência de um outro, já que a experiência com as tecnologias é virtual e individual, e, assim, não há partilha.

A questão não é evitar, ou proibir, pois vivemos numa sociedade tecnológica, mas é necessário repensar e questionar como isso chega às crianças, qual a utlização, importância, necessidade disso na infância, já que sabemos que o resultado não é um dos melhores.

Hoje, buscando algumas leituras sobre infância, encontrei um artigo muito bacana da Professora Ms. Luana Timbó, lá nas publicações do INCERE, que é um recorte da dissertação de mestrado dela, sobre a escola e tecnologia. Crianças na contemporaneidade: entre demandas da vida escolar e da sociedade tecnológica

Além desse artigo, deixo aqui outros links bem interessantes que trazem esse debate.

  • Documentários:

Tarja Branca (Trailer): https://www.youtube.com/watch?v=dadvMzBqIdI&list=PLUKQf7emLuDgCYLGmC0Bp_lfJkQzTOOXP

Muito Além do Peso: https://www.youtube.com/watch?v=TsQDBSfgE6k
A criança é a alma do negócio: https://www.youtube.com/watch?v=49UXEog2fI8
Janela da Alma: https://www.youtube.com/watch?v=56Lsyci_gwg

 

  • Artigos:

Será que estimulamos demais nossos bebês:http://amaequequeroser.wordpress.com/2013/05/27/sera-que-estimulamos-demais-os-nossos-bebes/

Crianças precisam brincar mais, e comprar menos, diz especialista: http://educacao.uol.com.br/noticias/2014/08/17/escola-precisa-ajudar-a-combater-consumismo-diz-especialista.htm